quarta-feira, 30 de julho de 2014

Fogareiros para camping - qual o melhor?

No começo das nossas aventuras em família, usamos um fogão duas bocas comum e um botijão de 2kg de gás. Depois de um tempo, fiz um curso de primeiros socorros (básico) e um professor, que era bombeiro, me alertou sobre os perigos deste botijão. Quer dizer, a gente até já sabia, mas não imaginava ser tão perigoso. Este tipo de botijão (2kg), não possui um dispositivo de segurança anti-explosão (o plug-fusível ou válvula de escape), podendo ocorrer vazamentos e consequentemente uma explosão. Algumas cidades do Brasil, já proíbem a sua comercialização. Fora que, muitas vezes, é a pessoa é que deve se encarregar de enchê-lo ou seja: transpor de um botijão comum de cozinha 13 kg para o menor de 2 kg sem ter controle sobre a quantidade, não tem como saber ao certo. É preciso ter muita experiência para fazer tal procedimento e em lugar aberto. 
Foto retirada da internet (mas o botijão é de 2 kg igual o nosso antigo)

Na segunda viagem em família, trocamos o botijão de 2 kg pelo de 5 kg e continuamos com o mesmo fogão de duas bocas. Apesar dele (5 kg) ser mais pesado e ocupar mais espaço, valeu pela maior sensação de segurança e confiança no seu desempenho. O outro, constantemente deixava a gente na mão, de repente não tinha mais gás e meu esposo dizia: - Vixe! Não enchi direito. Não é possível? Já acabou? Para nós, a mudança (2 kg para 5 kg) compensou bastante e não precisamos enchê-lo, apenas trocamos por um outro cheio.

Nossa foto. Com a troca feita do botijão de 2 kg para o de 5 kg e o fogão de sempre: duas bocas.


Lembrete: Após 15 anos de uso, os botijões devem passar por processo de requalificação gerenciado pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), uma autarquia vinculada ao Ministério de Minas e Energia.

Para as próximas férias, fomos pesquisar outras alternativas e vamos listar o que encontramos e a nossa escolha no final, contendo os valores.

1. Espiriteira a álcool comum ou etanol ou óleo de cozinha

É o mais simples de todos. Consiste em um recipiente onde se adiciona o combustível líquido. Existem modelos comerciais (como Azteq) e modelos feitos artesanalmente com o uso de latinhas de refrigerantes ou outras. 
A desvantagem e a vantagem é na utilização do álcool (perigoso mas fácil de encontrar). 
Custo médio: Entre R$20,00 e R$ 50,00 dependendo da marca ou duas latinhas de refrigerantes, mais o valor do líquido a ser usado.
Prós: barato e pequeno
Contras: Perigoso, pois obriga o uso de álcool líquido ou outros combustíveis líquidos bastante inflamáveis. 
espiriteira
Veja como fazer uma:

2. Fogareiro de cartucho ou fogareiro simples

O grande problema dos cartuchos usados neste fogareiro é que costumam vazar se não for bem colocado ou se o bico do fogareiro estiver com defeito. O cartucho é furado pelo bico do fogareiro no momento do encaixe e nem sempre isso funciona corretamente. Este fator já me fez descartar esta opção de fogareiro, o outro ponto negativo é que depois de furado o cartucho não pode ser removido do fogareiro antes que ele acabe por completo.
Custo médio: Entre R$ 70,00 e R$ 80,00
Custo médio cartucho: R$ 6,50
Prós: barato
Contras: Ruim para transportar, depois de encaixado o cartucho não pode ser removido e pode apresentar vazamentos de gás com certa facilidade.

Gás (é nesta parte do meio que se faz o furo e o encaixe)


3. Fogareiro de válvula

Este fogareiro é prático de carregar e usar. São um pouco mais caros que os modelos anteriores, mas permitem que o cartucho seja removido após o uso e não oferecem risco de vazamento (salvo em casos de defeito no equipamento).
Custo médio: Entre R$ 70,00 e R$ 80,00
Custo médio cartucho: R$ 14,00
Prós: leve, pequeno, permite a remoção do cartucho após o uso, cartucho fácil de encontrar, acendimento através de botão (acendedor automático), menos risco.
Contra: gás mais caro que os modelos anteriores (acho que por ter maior concentração de Isobutano) li que tem pessoas que perceberam um melhor desempenho com Isobutano.
mini-fogareiro-guepardo

4. Fogareiro horizontal 

Essa foi a nossa escolha:

Custo: 112,00 reais pelo fogareiro da NautiKa, mais 7,50 por cada latinha de gás da Guepardo de 227gramas (foram 6). Comprado na Casa Donato (Rua Conde D'eu em Fortaleza).

Prós: pra mim, mais seguro ainda, se assemelha muito a um mini fogão e não tem tanto perigo de uma panela virar (foi principalmente isso o quê nos levou a escolher esta opção) ficava imaginando uma panela cheia de água quente se equilibrando nos modelos acima e neste não tive dúvidas e ainda pode ser usado com gás comum de casa (13 kg)
Contra: ocupa mais espaço e é mais pesado (por isso recomendamos mais para uso no camping mesmo e não em trilhas). Em breve, quando testarmos, vamos dizer quanto tempo durou a latinha de gás.



Vem com essa caixinha para ser transportado e guardado após o uso.





2 comentários: